Zeke - Velocidade, peso, agressividade


Formada em Seattle no ano de 1993 por quatro jovens fãs de Motörhead, Ramones, Turbonegro, Dwarves e GG Allin, o Zeke preferiu ficar de fora daquela grande orgia grunge que rolava por aqueles lados na época fazendo um hardcore absurdamente rápido, pesado, imoral e inconsequente, com alguns toques de Motörhead, blues rock e posteriormente elementos de stoner e hard rock setentista.



Com letras abordando temas como sexo, drogas, morte, serial killers e automobilismo (!!!) a banda começou a gravar pela gravadora independente Scooch Pooch, por onde saíram seus dois primeiros álbuns, "Super Sound Racing" (1994) e "Flat Tracker" (1996), além dos singles "Dilaudid" (1996) e "Chiva Knievel" (também de 1996). Nessa época o direcionamento da banda era algo mais voltado pro hardcore e pro punk mesmo, com algumas pitadas de Motörhead e solos de guitarra berrantes com muitas fritações. Após entrarem na Epitaph, em 1998, a banda começa a incorporar no som elementos de hard rock setentista e um pouco de stoner rock também.

O primeiro lançamento da banda pela nova gravadora foi "Kicked in the Teeth", que mantém a sonoridade mais punk dos dois primeiros. No ano de 2000 sai então "Dirty Sanchez", em que fica mais evidente a influência stoner no som. Foi nessa época que a banda começa a ter seu reconhecimento no meio underground, fazendo inúmeras tours pelo país inteiro e até pela Europa, com nomes como Melvins, Dwarves, Supersuckers, Nashville Pussy e até mesmo com o Pearl Jam e o próprio Motörhead, uma das maiores influências dos caras.



Em 2001, já fora da Epitaph, a banda lança "Death Alley", que é considerado por muitos o melhor disco da banda. Ele saiu pelos selos Aces And Eights, Tee Pee e Cargo Records. Em meio à várias turnês para promover o disco, a estrada foi desgastando os integrantes da banda, o que fez com que eles decidissem tirar um tempo. A banda volta em 2003 com o disco "Live and Uncensored" pela Relapse Records, gravadora que abriga a banda até hoje. Também pela Relapse saiu o mais recente disco da banda, "Til' the Living End", de 2004.
 
Desde 2004 a banda não lança nenhum disco, porém lançou em 2005 um EP chamado "Lords of the Highway" e um split com o Peter Pan Speedrock pela Blitzcore, e em 2011 um split 7'' com o Antiseen. A banda continua excursionando por todo os EUA e não há previsões de quando sai material novo. Marky Feltchone, líder da banda, diz que só irá gravar com a banda assim que achar que eles estiverem preparados e inspirados o suficiente para lançar algo tão bom ou melhor que o último disco que gravaram, "Til' the Living End".

 
Embora no Brasil o Zeke tenha o mesmo valor que um pão com bosta, nos EUA e na Europa a banda é bastante reconhecida no underground, inclusive há uma música do Zeke no Tony Hawks Pro Skater, então se você era um punheteiro viciado nessa merda provavelmente já deu várias manobras maneiras ao som de "Death Alley" no seu Playstation.

Infelizmente não há muitas informações sobre a banda, o que tem é isso aí mesmo, nem no site oficial dos caras há muita coisa, então ficamos por aqui. Se você procura por distorção no talo, bateria bate-estaca, insanidade, demência pura, peso, agressividade, solos gritados e fritantes, baixe agora "Super Sound Racing", "Flat Tracker", "Kicked in the Teeth" e "Dirty Sanchez" e ouça-os fazendo tudo que diz as letras: estuprando, matando, usando drogas, dirigindo carros de alta velocidade.

This entry was posted in by Maurício K.. Bookmark the permalink.

2 thoughts on “Zeke - Velocidade, peso, agressividade”

Leave a Reply