Wipers - Fora do eixo...


É difícill tentar comentar qualquer coisa de uma banda como o Wipers, mas vamos lá.

Formada em 1977 em Portland, Oregon, pelo guitarrista, vocalista, compositor e gênio Greg Sage, o Wipers foi uma das melhores e mais originais bandas de toda a história do punk e da música alternativa no geral, apesar de terem plantado muito mais do que colheram, talvez até pela conduta do próprio Sage, completamente anti-comercial e avesso à qualquer tipo de "marketing pessoal", pois acreditava que as pessoas poderiam ouvir e entender melhor o Wipers sem associá-los aos estereótipos tradicionais do circo do rock 'n' roll e do próprio punk. Sage via a música muito mais como arte do que como entretenimento.

A ideia inicial de Sage quando fez o Wipers era a de gravar 15 discos em 10 anos de forma totalmente independente, sem fazer tours ou qualquer tipo de promoções. O Wipers sempre foi um trio, que inicialmente contava com Dave Koupal no baixo e Sam Henry na bateria. Essa formação foi responsável pelos primeiros compactos e pelo primeiro LP, "Is This Real?" de 1979.



 "Is This Real?", aliás, um clássico. 12 canções raivosas, desesperadas, agressivas, fortes e expressivas, desde a abertura com "Return of the Rat" até "Wait A Minute", passando por "Mistery", "Up Front", "D-7", a faixa-título e ainda "Tragedy". Um dos melhores discos de todos os tempos, sem exageros.

"Youth Of America", de 1981 já apresenta uma sonoridade um pouco diferente, mais sofisticada, mais experimental, mas ainda sim agressiva, embora fuja bastante dos padrões do punk, com canções mais longas (a faixa-título tem exatos 10 minutos e 27 segundos), porém Sage nunca ligou para isso, pois ele mesmo jamais atribuiu qualquer rótulo à banda. Nesse disco Koupal e Henry deixam a banda e quem assume seus postos são Brad Davidson e Braid Nash, respectivamente.

Essa formação, com Brad no baixo e Nash na bateria, foi a que gravou outro clássico da banda, "Over the Edge" de 1983, no qual a banda retoma o estilo do primeiro disco, com uma sonoridade mais punk e menos experimental, e as letras adquiriram um tom mais politizado também. Um ótimo disco, música para matar, roubar e destruir.


Depois do "Over The Edge" a banda deu um tempo e voltou em 1985. Lançaram ainda nos anos 80 "Land of the Lost" (1986), "Follow Blind" (87) e "The Circle" (88). Nestes discos Braid Nash deu lugar à Steve Plouf. No final dos anos 80 a banda foi dado como acabada mas retornaram em 1993 com o disco "Silver Sail", e ainda nos anos 90 lançaram "The Herd" (1996) e "The Power In One" (1999), este segundo Sage, o último disco da banda.

Embora não tenham conseguido lançar 15 discos em 10 anos o Wipers foi uma das bandas punk de maior influência de todos os tempos, tendo influenciado diretamente toda a galera de Seattle do final dos anos 80 e início dos anos 90, em especial o Nirvana, que regravou duas músicas do Wipers, "Return of the Rat" e "D-7", além de Kurt ter incluído três discos do Wipers em sua lista de 50 discos preferidos.



  Além do Wipers, Greg Sage já trabalhou em três (ótimos) discos solo, "Straight Ahead" de 1985, "Sacrifice (for love)" de 1991 e "Electric Medicine" 2002, produzidos por ele mesmo, assim como quase todos os discos do Wipers.

Baixe aqui "Is This Real?", "Youth Of America" e "Over The Edge", e testemunhem uma das mais grandiosas bandas da história.

One thought on “Wipers - Fora do eixo...”

Leave a Reply