Change Your Life - Paulada powerviolence de Porto Alegre


Bom galera, o post de hoje é especial. Além de tratar sobre uma banda da nossa cidade que a gente gosta muito, essa é a primeira entrevista (de muitas) que fizemos (e vamos fazer) para o blog. A ideia de começar a fazer entrevistas pra esse chiqueiro virtual, abrigo de músicas ruins, veio após o camarada Homero nos enviar uma entrevista que ele fez com o From Ashes Rise (leia aqui) para postar aqui no blog, como material colaborativo, e achamos interessante ceder espaço para entrevistas aqui também. E a primeira banda que consegui pensar para entrevistar aqui pro blog foi a Change Your Life, não só por ser uma banda de amigos, mas também por ser uma das mais ativas no underground porto alegrense e que eu particularmente, curto muito, inclusive está entre as minhas bandas preferidas daqui atualmente. A banda foi formada em 2009 e manda um powerviolence/fastcore dos mais fudidos, mais que recomendado para qualquer um que curta barulheira, gritaria, loucura e desgraça. Conversamos com o Wender, vocalista da banda, e falamos um pouco sobre a sua história, influências, envolvimento com o underground da região e outras marotices. Confiram!

Como os integrantes se conheceram, e quando vocês tiveram a ideia de montar a banda?

Wender - Quem formou a banda foi o Guilherme (do fanzine Outono ou Nada e que já tocou na Out of Reason, Cü Sujo e atualmente toca na Ornitorrincos), isso em 2009, eu acho. Passamos por algumas mudanças, mas acho que mesmo com todas as trocas, todo mundo já se conhecia, nem que fosse de vista. Afinal, todo mundo acaba se encontrando alguma vez ou outra, por exemplo, o Jonas (baixista) tocava na Frënso, que tocou junto com a gente no nosso primeiro show, nunca tivemos tanto contato, mas daí uma vez quando tocamos com o Ratos de Porão em Canoas, ele tava lá vendo o show e daí conseguimos trocar uma ideia melhor e alguns meses depois, quando o Binho saiu, o cara entrou pra banda. Enfim, a ideia do Gui acho que era de reunir pessoas com gostos em comum e fazer um som rápido. Acho que a pilha de formar a banda veio porque na época o Gui tava saindo da Cü Sujo e não tava envolvido com nenhuma outra banda, lembro que recém tínhamos acabado de organizar uma turnê pela região de Porto Alegre com os nossos amigos da Resto de Feira, então estávamos naquela empolgação mesmo.

Cite as principais influências da Change Your Life:

Wender - Isso varia bastante, acho que esse negócio de influência pode ir desde algum livro, fanzine, filme, vivência e som, é claro. Falando em som, acho que nossas principais influências são Spazz, Apathetic Ronald Mcdonald, La Revancha, Catarro, Charles Bronson, Jay Adams, WxHxN?, Merda, Sugar Pie Koko, Napalm Death, Scholastic Deth, Dropdead, Electro Hippies, Lärm e por ai vaí... Afinal, o cara sempre acaba conhecendo algo novo ou resgatando alguma velharia, hehe.

 Do que tratam as letras da banda, no geral?

Wender - Sempre são temas mais cotidianos, por exemplo, temos letras que falam sobre o status social, religião, vegetarianismo, esse negócio de escola das ruas onde o cara aprende muito mais vivendo do que trancado em uma sala seguindo os mesmos padrões de cem anos atrás, temos até um conto adaptado do “livro dos abraços” do Galeano e que acabou virando uma letra. Enfim, são alguns dos nossos sentimentos, frustrações e opiniões expressadas ali.


Desde o início a Change Your Life se mostrou uma banda bastante ativa, com uma boa média de shows e inclusive tocando com nomes importantes da cena punk/hardcore nacional, como o Cólera, Lobotomia, Ratos de Porão e Armagedom, além disso alguns membros da banda estão ligados ao underground de outras maneiras, Wender, tu organiza shows, o Insekto faz quadrinhos... Fale um pouco sobre isso:

Wender - Independente de ser ligado ao underground, isso é a nossa vida. É aquilo que gostamos realmente de fazer e não é só aquilo que a gente faz quando tem tempo, tá de folga ou isso ou aquilo. Nossa vida é underground.

Eu, Wender, conheci o Insekto através da produção de filmes independentes, vi que ele tinha feito um curta e na época também era envolvido com isso, dai depois fiquei sabendo que ele tocava na Facão 3 Listras e tempos depois estávamos tocando juntos. O Insekto faz filmes, fanzines e quadrinhos. Aqui dá pra sacar alguns trabalhos dele: www.insektron.blogspot.com

O Jonas toca e já tocou em outras bandas, como: Verão, Tamborellos, Frënso, Living Deads. Além disso, ele mantém um projeto solo e experimental muito massa que é o dpsmkr (dpsmkr.bandcamp.com).

O Gêison, vulgo Anão, participa do Centro Cultural Marcelo Breunig e lá os caras fazem várias coisas além dos shows, sempre rola debate, palestra, oficinas, sessões de cinema, entre outras atividades. É um legitimo Centro Cultural.

Eu, Wender, edito alguns zines, organizo alguns shows e essas coisas, atualmente tô colaborando na produção de alguns filmes com a Fantoche Filmes, produtora independente de Canoas, do Ricardo Ghiorzi.

A banda esteve parada um certo tempo, qual foi o motivo dessa pausa, e o que motivou vocês voltarem às atividades?

Wender - Acho que encheu o saco e dai precisamos tirar um tempo só. O Anão era o baterista oficial da banda, mas ele ficou um tempo com alguns problemas pessoais e dai o Gui quebrou um galho para alguns shows, e ele só topou quebrar o galho desde que gravássemos algo, então gravamos alguns sons com o Guilherme na bateria e dai tiramos algumas férias. Até que no ano passado um amigo nosso tava voltando pra Argentina e daí resolveu fazer uma festa de despedida e nos convidou pra tocar, pilhou muito a gente e tal, no fim não conseguimos ensaiar a tempo, mas quando ensaiamos percebemos que a pilha tinha voltado, dai a coisa voltou ao natural, saca? Começamos a fazer novos planos, compor sons novos e daí aquela pilha se renovou.


Quando a banda voltou, na metade do ano passado, vocês lançaram alguns singles para a molecada curtir, de algumas gravações que já estavam engavetadas fazia um tempo. Vocês pretendem lançar esse material todo na íntegra? Quais são os planos da banda para esse ano?

Wender - Esses sons foram daquele registro que fizemos com o Guilherme. Soltamos algumas coisas, meio que pra marcar essa volta e também pra dar um giro no material, até porque só tínhamos uma demo – que na verdade é um registro de um ensaio, então tá tri tosco. Esses sons vão sair em um split com a banda Pesticida lá de Belém e também alguns outros vão sair em uma coletânea de um zine também lá de Belém e quem organiza também é esse mesmo pessoal da Pesticida. Nesse ano, vamos participar de um tributo aos 30 anos do lançamento do SUB tocando Psykóze (nota do editor: o show/tributo é dia 3 de março, para quem é de POA ou região e ficou curioso, veja aqui mais informações e compareça!). Além disso, pretendemos entrar em estúdio novamente e lançar alguma coisa ainda esse ano. Tá tudo nos planos, hehehe.

Fale sobre alguns momentos que você julga que foram importantes para a Change Your Life:

Wender - Cara, tô pra dizer que teve vários momentos importantes. Acho que sempre estivemos cercados de pessoas legais, tipo, fiz amigos no estúdio onde ensaiamos, fiz amigos tocando em shows, fiz amigos divulgando a banda e por aí vai... Conheci muita gente através da banda, por exemplo, o Tibiu, e ele foi um cara que nos deu uma puta força. Enfim, acho que isso é o mais massa, quando o pretexto da banda se torna uma extensão pra desencadear uma série de outras coisas. Tocamos com muitas bandas e pessoas legais, com bandas que admirávamos e admiramos ainda. O show com o Ratos de Porão foi muito foda, lembro que quando acabou o show teve um amigo meu que falou que o Boka tinha curtido o nosso show, daí fui falar com o Boka e o bitio fez elogios mesmo pra banda, surreal. Porra, o batera de uma banda que tu admira fala que curtiu tua banda, pode parecer bobo, mas sei lá, é isso que vale a vida de uma banda, saca? Essa é a tal quebra de barreiras que o underground te proporciona, e esses são sempre bons momentos. Teve o show com o Cólera também e que infelizmente foi o último show deles no sul do país. Teve o show no Paranoise Gig em Estrela que foi animal, fomos os ultimos a tocar, mas o público de lá é incrível e este foi também o primeiro show com o Jonas na banda, e tá aí outro momento bem importante pra banda que foi a entrada do Jonas no grupo. Enfim, é foda de falar de um momento, até me empolguei bastante aqui tentando lembrar, hehehe, mas bom momento acho que é responder essa entrevista, receber um email de alguém falando da tua banda ou algo assim, essas coisas, manja? Uma vez gritaram no meio do nosso show que quando entraram no lugar pensaram que quem tava tocando era a Entre Rejas. Hehehe. Teve até show em que cantaram uns sons junto com a gente, isso sim é surreal e também muito gratificante.


Agora a velha pergunta cretina de sempre, o que vocês acham da cena local? Quais são as bandas locais que você mais gostam?

Wender - Ah, cara. Nós não apoiamos a cena, tá ligado?

Nesse meio “independente” acabamos dependendo e muito dos nossos amigos, conhecidos e por aí vai. Tipo, uma cena é formada pelo cara que produz o show, pelo cara que tem um selo e lança as bandas, pelo cara que trabalha na loja de disco, pelo cara que faz camisetas, pelo cara que só vai no show e paga o ingresso, também tem o cara que tem um blog, tem um amigo que tira fotos, tem outro que filma e faz clipes, daí tem um amigo no interior que faz os rolês lá e isso possibilita trazer bandas de fora pra um giro no estado, tem um conhecido teu que trabalha no jornal, tem outro teu amigo que é chefe... E por aí segue.  E na real, isso é o mais foda de tudo, tu conseguir mover e fazer barulho sem edital e com poucos investimentos, aliás, com muitos investimentos, afinal investimos nosso tempo, energia e amor pra fazer a roda girar e não deixar essa chama se apagar. Na minha opinião, assim que se forma uma cena. E tô pra dizer que a gente tem tentado bastante fazer tudo certo. Enfim, acho que a nossa cena local é boa, podia ser melhor é claro, mas também podias erpior, né?

Sobre as bandas, das que estão ativas, curto bastante: Ornitorrincos, I.C.H, CxFxCx, Mar de Marte, Sistema de Mentiras, RED, Living in Hell, Campbell Trio, Medialunas, Hangovers, Dévil Évil, Badhoneys, Entre Rejas, Diatribe, TSF, Shade of Mankind, Viruskorrosivus, Lapso de Insanidade, Raise Your Head, Imorale, Para-raio da desgraça, No Masters, Chute no Rim, Terror66, The Tape Disaster, Os Tortos... Ah, tem muita banda boa mesmo aqui e todas elas me motivariam a sair de casa pra curtir um show.

Recomende uma sonzeira esperta pra gurizada que acessa o blog:

Wender - Aproveitem e procurem pelas bandas que citamos acima, vale a pena!

Faça suas considerações finais: agradecimentos, xingamentos, dê um recado para os leitores do blog, mande os tomar nas pregas, deixe contato para shows... Fala o que quiser, bitcho!

Wender - Pow, valeu pelo espaço, bitio! O blog de vocês é demais e o Maurício sabe como eu sou fã e sempre fico indo atrás das postagens de vocês. Muito massa agora pra gente poder estar em uma postagem.

Contatos da banda:
E-mail: changeyourlifeofficial@gmail.com
Facebook: Change Your Life

E é claro, para ouvir o som dos meliantes, aí está o bandcamp do conjunto musical cristão Mude Sua Vida: changeyourlife.bandcamp.com


(Change Your Life ao vivo no Entrebar, dia 04/11/12. Filmagem por Alequis)

Leave a Reply