Los Violadores - Subversão argentina


E aí putaiada! Seguinte, fiquei ausente aqui um tempo por pura preguiça e por falta de ideia do que postar mesmo. Poderia estar envolvido em alguma coisa nobre ou fazendo algo de útil pela humanidade, mas fiquei só coçando esse tempo todo mesmo. E sem ideia do que postar aqui. Mas o pior, é que eu nem imaginava que toda essa falação do papa argentino e a polêmia (que se é real ou não, não entrarei no mérito) do velho ter apoiado a ditadura militar na Argentina me lembraria de uma banda muito foda que já não rolava no meu player fazia um tempo e também me daria um ótima ideia para uma postagem nesse chiqueiro. Enfim, chega de lorota...

No final dos anos 70, a América Latina sofria com o peso das botas, fuzis e capacetes. E a ditadura militar na Argentina foi uma das mais violentas do continente. É difícil dizer qual delas foi a mais sangrenta e repressora, mas parece que os hermanos ganham esse infeliz título. Porém, naquelas alturas do campeonato, os militares começaram a perceber que seria difícil manter regimes tão fechados, visto que já enfrentavam fortes problemas na economia, e começaram então uma pequena e forçada "abertura" política. Nesse contexto, com um pouco mais de facilidade na chegada de informações (ainda que muitas vezes chegassem muito distorcidas, muitas vezes até propositalmente para abafar qualquer tipo de informação que pudesse ser considerada "ofensiva" aos regimes), e também já de saco cheio desses regimes opressores, acabaram surgindo, aos poucos e timidamente, os primeiros punks da América Latina, por volta de 78/79, simultaneamente em São Paulo, Buenos Aires e Lima.



A primeira banda punk da Argentina foi o Los Testiculos, que em 1980 trocaria o nome para Los Violadores. A primeira formação da banda contava com o guitarrista Hari B, o baterista Sergio Gramática, o baixista Stuka e o vocalista Pil Trafa. Ganharam notoriedade mesmo foi em 1981, com diversos shows ali pela região de Buenos Aires (muitas vezes sob o nome de "Los Voladores", visto que a ditadura não via com bons olhos um nome tão agressivo), e em 1982 entraram em estúdio para gravar o primeiro LP, que porém saiu só em 1983, após as eleições que representaram o fim oficial da ditadura argentina (que já começava a ruir com o fiasco da Guerra das Malvinas).

Musicalmente falando, a sonoridade é bem próxima do punk rock clássico de 77, baseada bastante em Clash, Buzzcocks, Sex Pistols e Stiff Little Fingers, diferente das bandas punks brasileiras que faziam um som mais hardcore e mais tosco. A produção do LP também é muito superior em relação aos primeiros registros punks brasileiros, que como todos sabemos, é uma tosqueira braba (apesar de linda). É um registro único e importantíssimo para o punk latino americano, sendo um dos primeiros discos de punk do continente e, muito provavelmente o primeiro disco de punk rock argentino. Um grande disco e histórico disco, com ótimas canções como "Mirando La Guerra por TV", "Cambio Violento", "Sucio Poder", "Estás Muerto" além dos hinos "Represión" e "Viejos Patéticos".



Logo após o lançamento do primeiro LP, auto intitulado, e também do final da ditadura no país, Hari B, guitarrista e o principal mentor do Violadores decidiu deixar o barco, já que via a banda muito mais como um instrumento de luta contra o regime militar argentino e com o fim do mesmo, não via mais sentido ou razão em lutar. Hari B após sair do Violadores entrou para o Comando Suicida, provavelmente a primeira banda Oi! da América Latina. Com sua saída, a banda também mudou seus rumos musicais, adotando um som mais "ramoneiro". Também curto essa segunda fase dos Violadores, porém, o primeiro LP para mim é imbatível.



Após o segundo disco, "Y Ahora Que Pasa, Eh?", de 1985 (já com um som mais "ramoneiro"), a banda trocou de formação diversas vezes e teve seu fim em 1992 após diversas discussões entre Stuka e Pil Trapa, motivadas por suas "insuperáveis diferenças musicais". Lançaram sete álbuns, mais um ao vivo e uma coletânea. Voltaram aos palcos no ano 2000 e encerraram as atividades em 2011. Lançaram três álbuns nessa volta, que eu nunca me prestei a ouvir.

Baixe aqui o primeiro e histórico disco do Los Violadores, de 1983.

Leave a Reply