Suburban Studs - Os moleques rebeldes de Birmingham


Os anos de 1976 e 1977 foram intensos para o punk rock, principalmente na Inglaterra, onde chegou com força total e encontrou abrigo em meio a um cenário social de desemprego e falta de oportunidade para os jovens, que realmente se viam sem futuro e sem melhores perspectivas de vida. E o punk foi a forma ideal que esses moleques encontraram para expressar sua raiva, frustração e insatisfação, tornando-se algo muito além da música e virando um fenômeno social. Porém, o que nos interessa aqui é a música. No meio de toda aquela efervescência de milhares de bandas surgindo, muitas acabaram ofuscadas pelo sucesso de bandas maiores (como o Clash e o Sex Pistols) e acabaram não tendo tanta sorte, foram esquecidas pelo tempo, mesmo com o potencial necessário para se tornar maiores. O Suburban Studs foi uma delas.

O Suburban Studs foi formado em Birmingham, interior da Inglaterra, no ano de 1976, quando o punk começava a chegar por aquelas bandas, pelos amigos Eddy Zipps (vocalista e guitarrista), Keith Owen (guitarrista), Paul Morton (baixista), Steve Poole (baterista) e Steve Heart (saxofonista). A banda tinha uma forte influência da cena "pub rock" (nunca entendi direito os méritos desse rótulo, mas na tal cena "pub rock" estavam inseridos nomes importantes para o punk inglês, mesmo geralmente não sendo enquadradas no estilo, como o Dr. Feelgood e Eddie and the Hot Rods) da época e também das bandas mods (bandas mods, não Beatles e Stones) do anos 60, e músicos bastante acima da média, por conta dessa veia rock 'n' roll latente.



Embora tivessem um saxofonista na formação inicial, Steve Heart, logo no início da banda ele foi descartado e entraria para o Neon Hearts. O porquê, eu não faço ideia, mas sua ausência na banda não faz tanta diferença no som, pra falar a verdade. Talvez justamente por isso tenha sido descartado. Seu único registro com o Suburban Studs foi o (ótimo) 7'' "Questions" de 1977, que foi lançado pela Pogo Records, gravadora independente que tinha um certo vínculo com a major WEA. Inclusive, o Suburban Studs foi uma das primeiras bandas punks que vieram a assinar com uma gravadora independente na época.

A banda teve um tempo de vida muito curto, de 1976 até 1978. Porém foi uma banda bastante ativa na época, com diversos shows no Marque, 100 Club e no Roxy ao lado de nomes como Sex Pistols, Clash, Blitz, X-Ray Spex e U.K. Subs, por exemplo. Inclusive encabeçaram junto com o Clash uma tour por Birmingham e região, e chegaram a abrir pro AC/DC em 1977 (!!!), além de terem gravado uma Peel Session na BBC. Lançaram três singles ("Questions", "No Faith" e "I Hate School", todos em 1977, e esse último, um "micro clássico" do punk inglês) e um LP, "Slam", em 1978, além de ter participado da histórica coletânea "Hope & Anchor Front Row Festival", de 1977, que traz várias bandas fodidas da época como Strangles, Saints, X-Ray Spex, 999, Tyla Gang e várias outras. Inclusive, será postada no blog um dia.



Embora tivesse potencial, a banda deu azar de ter sido ofuscada pelo sucesso de bandas maiores e de lançar seu LP apenas em 1978 quando o punk já estava "de ressaca": o Sex Pistols chegava ao seu fim, a mídia não tinha mais tanto interesse no estilo, e muitas bandas também decidiram encerrar suas atividades ou tomar rumos diferentes (partindo para a new wave ou para o dito pós-punk). O LP não recebeu críticas significativas e também não vendeu muito. Desanimados, decidiram botar um fim no Suburban Studs. A banda foi reformada em 1996, para poucos shows na Inglaterra, com Roger Wilson no baixo e Dave Fell nas baterias.

De qualquer forma, "Slam" é um disco fantástico. 17 faixas do rock 'n' roll mais punk (ou do punk mais rock 'n' roll) produzido naquela época. A influência do "pub rock", do blues rock, do rockabilly e do mod é latente em vários momentos, seja nos riffs de guitarra ou na pegada malandra. As letras, tratam de temas como violência ("The Rumble"), satanismo ("Necro"), suicídio ("Razor Blades"), sobre a lei ("Panda Patrol") e até mesmo sobre a escola ("I Hate School", como já foi dito, um "micro clássico" do punk inglês) e a rebeldia juvenil ("Suburban Stud"). Uma pepita obscura, porém quase obrigatória para os amantes do punk rock clássico de 1977. Para nossa alegria, "Slam" foi relançado em CD pela Anagram em 1993, com uma cacetada de faixas bônus, retiradas dos singles e algumas faixas até inéditas. São 11 faixas bônus. Aliás, é a versão que deixo para download para vocês conferirem uma das mais originais, malditas e infelizmente injustiçadas bandas da primeira onda punk. Download aqui.

Leave a Reply