Nashville Pussy - Malditos rednecks sujos!


Sempre considerei que o rock 'n' roll, em seu estado bruto, deveria ser simples, barulhento, transgressor, sacana e transpirar aquele clima de boteco sujo e vagabundo, além de demonstrar na veia o eterno sentimento do porralouquismo e a filosofia do "foda-se, eu não ligo para o que os outros pensam". Pode parecer meio clichê, mas para mim existem poucas coisas mais sinceras do que isso, o rock 'n' roll no estado bruto. E o Nashville Pussy é exatamente isso, é uma legítima banda de rock 'n' roll, sincera, porra louca até o talo e que desde 1996 está tocando o foda-se e mandando uma sonzeira das mais brabas. E já adiantando, se você é um moralistinha politicamente correto, passe longe, pois essa aqui é uma banda suja, de gente escrota e que incomoda.

O Nashville Pussy é de Atlanta, Georgia, e foi formado pelo casal Blaine Cartwright (guitarra e vocal, e que era do Nine Pound Hammer, uma das pioneiras do "cowpunk" ou country punk) e Ruyter Suys (guitarra), juntos de Jeremy Thompson (bateria) e Corey Parks (baixo). A banda manda um rock 'n' roll bruto que mistura diversos elementos de punk, hard e southern rock no som, com letras que falam em sua grande maioria de sexo, brigas, drogas e bebidas de maneira bastante pomposa.



O Nashville Pussy sempre foi uma banda underground e que nunca atingiu o mainstream, justamente por ser uma banda de rednecks sujos e mal educados e que por motivos óbvios jamais conseguiriam espaço na grande mídia que preza pelo bundamolismo na música, mas que conseguiu um bom reconhecimento no underground e que ao lado de nomes como Zeke, Supersuckers, Dwarves e Reverend Horton Heat, com quem já dividiram o palco inúmeras vezes, é uma das mais cultuadas bandas do underground americano, com uma fiel legião de fãs, basicamente bêbados, pervertidos e gente fodida, como os próprios membros da banda. Ficaram conhecidos, além de seu som, pelas performances enérgicas, álcoolicas e sem pudor, onde as mulheres da banda tocam quase sempre seminuas, numa verdadeira aula de como fazer rock 'n' roll, sem qualquer frescura ou estrelismo.



O Nashville Pussy já tem cinco discos de estúdio na bagagem e já passou por algumas trocas de formação. A primeira ocorreu quando Corey Parks saiu da banda em 2000 logo após o lançamento do segundo disco da banda, "High As Hell". Em seu lugar entra Tracy Almazan, que não ficou muito tempo na banda e gravou com o Nashville Pussy apenas o disco "Say Something Nasty" de 2002. No seu lugar entra Karen Cuda, que gravou com a banda "Get Some" de 2005 e "From Hell To Texas" de 2009, além do DVD "Live In Hollywood", que aliás tem completo no youtube pra quem quiser conferir, vale a pena:



Aparentemente, Karen deixou a banda por problemas de saúde no final do ano passado e foi substituída por Bonnie Buitrago. Ao que parece estão preparando um disco novo também, e andam fazendo diversas tours por aí, principalmente na Europa e Canadá, onde são muito cultuados. A banda inclusive esteve no Brasil em 2007, para shows em São Paulo e Goiânia.

Não tenho muitas informações sobre o Nashville Pussy e também não há muito o que comentar, afinal, o som deles é o rock 'n' roll básico, ignorante, direto, sem frescuras, sacana e sem precedentes. Se você gosta de beber, foder, brigar, fumar crack e louvar satanás, com certeza essa é a banda certa pra você! Deixo para download os dois primeiros (e melhores) discos da banda, "Let Them Eat Pussy" de 1998 e "High As Hell" de 2000. Bom proveito!

Leave a Reply